Coleiras Vermelhas: Diga não à Crueldade na luta contra a Raiva.

Coleiras Vermelhas: Diga não à Crueldade na luta contra a Raiva.
clique e aceda

FOME ESPECIFICA e HÁBITO DE ROER DOS CÃES




O organismo dos animais em geral e dos cães em particular, quando privados em sua alimentação de algum elemento dietético necessário ao seu bom desenvolvimento corporal (físico), faz com esses animais procurem na natureza aquilo que esta lhes faltando na alimentação. 
 
 
 
 
Quando lhes faltam por exemplo: Cálcio ou Fósforo - comem terra, lambem parede, ou objetos de barro como moringas, potes, etc. É essa a chamada fome específica, não mais presente entre nós humanos (perdemos essa característica pela nossa chamada Civilização), porém, entre os animais ela e evidente e facilmente comprovada. Uma boa alimentação deve conter todos os elementos necessários ao desenvolvimento harmônico do corpo do animal, e em geral uma ração balanceada de boa qualidade contem todo o necessário.
Devido o rápido desenvolvimento corporal dos cães, bastando para realçar esse fato citar-se que um cão atinge seu completo desenvolvimento e maturidade com apenas 1 e meio a dois anos, torna necessário portanto, que os cães sejam alimentados de forma intensiva, principalmente em sua primeira infância (do nascimento ate os 4 meses de idade), e que essa alimentação seja balanceada (contenha todos os elementos necessários, tais como sais minerais, aminoacidos (proteínas), essenciais, gorduras, hidratos de carbono, vitaminas e micro-elementos em geral). Resumindo, a ração (comida), além de completa em seus constituintes deve ser também na quantidade necessária (nem excessiva que possa causar obesidade, nem insuficiente que venha causar outros malefícios decorrentes.


 Esse preambulo foi necessário, a fim de ser entendido no que procurarei agora explicar, quanto ao fato da maioria dos filhotes cães, apresentarem esse habito de roerem objetos que lhes estejam ao alcance, como sapatos, chinelos, pés de mesa, brinquedos de crianças que lhes sejam acessíveis, etc.



HABITO DE ROER: Surge as vezes quando o cão é recém desmamado (30 a 45 dias de idade), e nesses casos duas razões são as determinantes:
  1. Ou a alimentação esta incompleta em seus constituintes, ou a sua quantidade é insuficiente.
  2. Alguma doença concomitante, como verminose, que está determinando como participarão pelos vermes contidos em seu aparelho digestivo na sua alimentação. Em alguns casos, muito especiais, pode existir alguma causa orgânica ou fisiológica, que esteja impedindo a perfeita assimilação do alimento, que embora sendo servido ao animal, este ano tem capacidade para sua assimilação e aproveitamento para seu desenvolvimento.



No primeiro caso anterior, basta corrigir o que estiver errado na alimentação, ou substituindo a qualidade da ração ou sua quantidade. Já no segundo, o tratamento para correção desse habito, basta ser administrado o vermífugo indicado, quando a causa seja uma verminose, ou tratamento da moléstia nos caso. Por ocasião da muda da dentição de leite pela permanente, ocorre freqüentemente também esse hábito de roer, motivado pela irritação causada às gengivas pelos novos dentes aflorando e empurrando os dentes de leite. Recomenda-se em todos os casos, prévio exame parasitológico de fezes, para saber-se as espécies de vermes que estejam parasitando o animal, afim de possibilitar a administração do vermífugo que melhor se preste para tal verme parasita.




O habito de roer, aparece na maioria dos casos, por ocasião da muda dos dentes (entre 3 meses e meio até 6 meses de idade, variável conforme a arca do animal). Os dentes da dentição definitiva nos cães, que estão para vir substituir a primeira dentição (chamada de leite), ao irromperem na gengiva provocam dor e forte necessidade do cão morder, e para isso e necessário algum objeto duro, motivo pelo qual os cães nessa idade procuram alguma coisa para isso, e habitando nossas casas , serão os objetos que lhes estejam acessíveis, tais como nossos chinelos, pés de mesa, etc !!! O que fazer nesse caso? 


Simplesmente fornecendo-lhes algo de consistência dura e firme, como um osso ou mesmo algum objeto de borracha, como fazemos com nossos bebes nessa fase, dando-lhes chupetas ou o clássico anel de borracha para ser mordido.
O dono do cão, com ele convivendo e assim tendo oportunidade de o observar dioturnamente, e a pessoa mais indicada para informar ao profissional Veterinário os hábitos do seu cão, e assim, orientar da melhor forma de corrigir esse habito da infância , que caso ano seja corrigido quando o cão e ainda jovem, dificilmente o será na idade adulta, pelo fato de na idade adulta quando não corrigido na infância, haver se tornado efetivamente habito !!!
Recomenda-se portanto aos proprietários de cães duas coisas:
  1. Observação de como o habito se instalou e as possíveis causas determinantes (alimentação, muda de dentes?)
  2. Quais os alimentos (ração) dados ao animal? E suas quantidades nas diferentes épocas de seu desenvolvimento?
Com essas informações um Veterinário competente tem os meios para o diagnóstico da causa, e correção (quando possível) do vicio.

 
 
Carmello Liberato Thadei
(Médico Veterinário)

Category: 3 comentários

3 comentários:

Arione Torres disse...

Olá querida, obrigada pela sua visita ao meu blog, adorei. O template do meu blog teve um problema e eu tive que mudar a aparência do meu blog, mas o conteúdo continua o mesmo. Te desejo uma ótima semana, um abraço e fica com Deus.

Arione Torres disse...

Oi minha linda, obrigada pelo lindo comentário que vc me deixou. Você tmb é uma amiga muito especial para mim, seu novo blog é muito fofo, estou seguindo, adorei as dietas, principalmente a do abacaxi e a da gelatina, estou mesmo precisando fazer uma dieta. rsrsrsrsrs
Um grande abraço e um lindo finalzinho de semana para vc e família. Fica com Deus, bjus...

Arione Torres disse...

Oi querida amiga, seu blog está cada vez mais lindo. Desejo que você tenha um final de semana maravilhoso e que tenha uma excelente páscoa. Fica com Deus. Beijos no seu coração...

LINDO

Comovente historia do cachorro que esperou 11 anos pelo seu dono no mesmo lugar