Coleiras Vermelhas: Diga não à Crueldade na luta contra a Raiva.

Coleiras Vermelhas: Diga não à Crueldade na luta contra a Raiva.
clique e aceda

Cães: Atitudes Estranhas













Os humanos e os cães têm visões diferentes do mundo e frequentemente os cães têm atitudes incompreensíveis aos nossos olhos. Cheirar as partes íntimas das vistas, saltar para cima das pessoas, puxar a trela, urinar de felicidade e detestar a hora da escovagem são alguns exemplos de situações embaraçosas com as quais os donos não sabem lidar.

Cheirar as partes íntimas das visitas


Um dos principais sentidos dos cães é o olfacto. De facto, os cães conhecem-se e reconhecem-se cheirando a glândula que se situa na parte traseira do corpo. Para os cães este é uma forma normal e instintiva de identificar as visitas, contudo pode tornar-se embaraçosa tanto para o dono como para o convidado.

Os cães não devem ser impedidos de cheirar quem entra, mas uma breve inspecção da bainha das calças deve chegar. Para limitar o acesso do cão às pernas das pessoas a maioria dos donos diz ao cão aquilo que não deve fazer: “Não faças isso”, “Não cheira”, etc. O dono deve explicar ao cão aquilo que quer que ele faça. Ensine-o a sentar e a obedecer a esse comando. Cada vez que ele o faça, recompense-o. A melhor forma de treinar, seria arranjar um voluntário que não seja da casa e que finja várias vezes chegar e partir. Pulverize o meio das calças com algo que ele não goste: por exemplo, pimenta e diga o comando “Senta”. Se ele o fizer, recompense-o. Caso o cão ainda não saiba este comando, trabalhe com ele alguns dias antes.

Saltar para as visitas


Apesar de ser desconcertante para os donos terem um cão que constantemente salta para as visitas, a maioria dos donos escolhe uma das seguintes opções: fecha o cão numa outra divisão ou deixa de receber visitas. Quando um cachorro salta, este é um sinal de submissão: procura comida que a mãe regurgita para ele. Contudo, com o passar do tempo, este comportamento torna-se típico de um cão dominante.

Uma das funções dos cães é guardar o território e proteger a família e, por isso, não se pode esperar das raças mais protectoras um comportamento amistoso para com estranhos. Contudo, isto não quer dizer que o cão tenha de ser fechado noutra divisão, onde provavelmente fica a ladrar durante todo o período de confinamento.

Como em tudo, a educação do cão passa por lhe dizer o que fazer e recompensá-lo quando obedece. Inicie o treino, mandando-o sentar e recompensando-o. Quando receber visitas, diga o comando “senta” e cada vez que ele obedecer (enquanto está sentado não salta) ofereça-lhe uma recompensa. Se apenas castigar o cão quando ele salta para as visitas, o cão pode associar as visitas ao castigo, comprometendo assim todo o treino.

Puxar a trela


Este é um dos principais problemas para os donos de cães e é sobretudo um problema de educação. Na origem deste problema está a dominância não controlada do cão. Um cão que se considera o líder da família, é um cão que não sente qualquer problema em caminhar à frente do dono. Segundo a natureza do cão, que é o mesmo que dizer segundo o comportamento dos lobos, o líder da matilha é aquele que guia o grupo e que por isso caminha à frente, escolhendo o caminho.

Por outro lado, ao puxar o cão, ele terá instintivamente a reacção de puxar para o outro lado. Assim, se puxa para trás, ele automaticamente faz força para a frente, tornando os passeios num jogo de força.

Um cão pode aprender a acompanhar o dono e a segui-lo através de aulas de obediência vocacionadas para o passeio de trela, mas o cão dominante apenas o fará quando lhe apetece. Ou seja, se nas aulas ele segue junto ao dono, não quer dizer que quando vir um gato a passar ou outro cão ao longe continue a seguir o dono. Evitar que o cão puxe é sobretudo conseguir controlar a dominância do animal. Atenção que dominância não significa agressividade nem está relacionada com o porte físico do cão.

Urinar quando chego a casa


Não raras as vezes, surge a reclamação dos donos de que assim que chegam a casa, o cão presenteia-lhes com um xixi feito na hora. Ao contrário do que algumas pessoas possam pensar, este comportamento não é vingança do cão por o terem deixado sozinho, mas sim um sinal de submissão. Os cães com falta de confiança expressam-no muitas vezes urinando perante o líder da família. Se os donos reagirem dando festas, o cão entende esse gesto como uma recompensa pelo seu acto, se, pelo contrário, os donos castigarem-no, o cão entende isso como uma necessidade de reforçar a sua demonstração de submissão. Nesta situação os donos devem ensinar o cão a sentar-se quando ouvir o comando “senta”. O cão sentado não consegue urinar. Os donos devem ainda trabalhar a confiança do cão, brincando com ele e deixando-o ganhar alguns, não todos, jogos de força ou tracção.

Ficar hiper-activo quando regresso a casa


O cão que salta, corre, ladra, gane, uiva, rodopia e derrapa quando o dono chega a casa é um cão que está a pedir atenção. Apesar de os donos ficarem lisonjeados com a atitude do animal, isto não quer dizer o cão gosta mais do dono do que o outro que recebe o dono com um entusiasmo controlado, apenas quer dizer que o cão precisa de ser educado. As recepções devem ser feitas de forma controlada, não é saudável permitir ao cão tanto descontrole. Lembre-se também que pode chegar a casa com um idoso ou uma criança que podem não reagir bem às investidas do cão, podendo inclusivamente assustarem-se, tropeçar ou mesmo cair.

Tal como em tudo, para educar o cão necessita de o treinar. Nos primeiros dias, a sua atitude deverá ser drástica: assim que chegue a casa ignore o cão e só lhe dê atenção quando ele acalmar. Faça as tarefas que normalmente desempenha sem prestar atenção ao cão: pendurar o casaco, etc. Assim que o cão se mostrar calmo, chame-o, mande-o sentar e assim que ele o faça recompense-o. Faça então festas e dê-lhe mimos. Repita todos os dias a mesma coisa. Depressa o cão entenderá que só assim receberá a recompensa e só depois de chamado pelo dono poderá recebê-lo com entusiasmo. Contudo, não deixe que mesmo a recepção tardia seja descontrolada. Assim que o cão se mostrar demasiado excitado, vire costas e ignore-o até que ele volte a parar. Repita os passos: mande-o sentar e recompense-o.

Não gostar de ser escovado


Não é difícil fazer com que o cão encare a escovagem diária ou semanal como algo de positivo. Contudo, sem terem consciência, alguns donos fazem com que os cães tenham medo ou reajam com agressividade perante uma escova de pentear. Por vezes uma má experiência relacionada com a higiene enquanto cachorros pode marcar o cão a vida inteira. Outras vezes, pode ser a própria atitude do dono que desencadeia a reacção do cão.

Se o dono magoou o cão a escová-lo enquanto pequeno, ao desfazer uma riça, por exemplo, o animal pode associar a escovagem a algo de negativo. Pior fica a situação se o dono se deixou intimidar por uma rosnadela do animal e interrompeu a escovagem.

É preciso alguma paciência para escovar os animais: deve fazê-lo com cuidado e frequentemente. Não deve zangar-se com o animal, apenas porque não consegue que ele fique na posição correcta. Mande-o sentar e recompense o cão sempre que este obedecer. Torne a escovagem um momento de carinho entre os dois alternando a escova com carícias e palavras doces. No fim deve recompensar o cão.

Caso não consiga escovar o animal, há sempre a hipótese de o levar a um groomer profissional. A última coisa que deve fazer é deixar o cão com o pêlo estragado. Um pêlo cuidado é essencial para a higiene de um cão, sobretudo se for um cão de apartamento.

Portar-se mal enquanto estou ao telefone ou vejo televisão


O cão não tem nada contra o telefone ou a televisão, apenas procura atenção que lhe é negada enquanto faz alguma dessas actividades. Apesar de os donos não repararem, no início o cão começa por procurar a atenção deles sentando-se e olhando para o dono, como isso não dá resultado, vai tentando vários comportamentos até que o dono lhe volte a dar atenção. Por vezes, pegam em brinquedos até que chegam a um sapato ou outro objecto “proibido”, que sem dúvida capta a atenção do dono. Geralmente estes cães recebem constantemente atenção quando alguém está presente na sala e uma pausa para falar ao telefone ou ver televisão é imediatamente seguida por um pedido de atenção. Não raras as vezes, são os próprios donos que afirmam que quando “ralham” com os cães estes mostram todos os sinais físicos de alegria: abanar o rabo e língua de fora. Para quebrar este hábito deve ensinar o cão a não ladrar enquanto está ao telefone, associando um estímulo negativo ao ladrar, geralmente um sinal sonoro. Certifique-se de que o cão tem sempre brinquedos disponíveis para que se possa divertir sozinho.

Category: 0 comentários

0 comentários:

LINDO

Comovente historia do cachorro que esperou 11 anos pelo seu dono no mesmo lugar